O Prêmio

A 4ª edição do Prêmio SBR/Pfizer de Jornalismo – Doenças Reumáticas tem o objetivo de valorizar jornalistas que se destacaram como multiplicadores de informação e de conhecimento sobre o universo das doenças reumáticas. Com isso, temos o propósito de reconhecer a contribuição da imprensa nesse cenário e de estimular a continuidade da divulgação de reportagens educativas sobre o tema, que possam contribuir com toda a sociedade.

Segundo dados do Ministério da Saúde (MS), as doenças reumáticas afetam aproximadamente 15 milhões de brasileiros1 e podem se manifestar em pessoas de qualquer idade, até mesmo em recém-nascidos. Existem mais de 120 tipos de enfermidades nessa categoria, que podem prejudicar o sistema musculoesquelético por meio de inflamações ou de degenerações1.

Desafios

Apesar da evolução dos tratamentos, a reumatologia ainda enfrenta grandes desafios. A falta de conhecimento sobre o assunto por parte dos pacientes, por exemplo, é uma importante barreira para o diagnóstico precoce. No caso da artrite reumatoide (AR), a mais comum entre as doenças reumáticas, que afeta 1% da população mundial2, não é diferente.

Em geral, os pacientes ignoram por muito tempo as dores nas articulações, que são os principais sintomas da doença, antes de procurar ajuda médica. E, se não for diagnosticada e tratada a tempo, a AR pode provocar deformidades nas articulações e erosão óssea, entre outros problemas.

O caminho até o diagnóstico é longo e leva, em média, dois anos3. O paciente costuma passar por diversas especialidades médicas, utilizando medicamentos para os mais variados problemas, conforme revelou uma pesquisa recente realizada pelo Instituto Ipsos3, a pedido da Pfizer, que ouviu cerca de 200 portadores de AR no Brasil.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 23,7 milhões de pessoas no mundo, em sua maioria mulheres, apresentam AR. Estudos apontam que entre 20% e 30% desses pacientes se tornam incapacitados profissionalmente em até três anos após o início dos sintomas da doença. 4 e 5

O papel da imprensa

A SBR e a Pfizer entendem que o trabalho jornalístico tem valor inestimável no atual contexto das doenças reumáticas: são enfermidades degenerativas, sem cura, e que podem causar danos irreversíveis. Mas o diagnóstico preciso e rápido possibilita atrasar o avanço dessas doenças, por meio de tratamentos capazes de aliviar os sintomas e de proporcionar melhor qualidade de vida aos pacientes.

Por isso, o 4º Prêmio SBR/Pfizer de Jornalismo – Doenças Reumáticas tem o intuito de conferir destaque e valorizar o trabalho de jornalistas e blogueiros que auxiliem na promoção, por meio de seu trabalho, de conhecimento sobre as doenças reumáticas, estimulando a discussão sobre o tema com toda a sociedade.

Prêmios

Os jornalistas poderão inscrever até duas reportagens em cada uma das três categorias destinadas aos profissionais ou equipes: Mídia Impressa (jornal e revista); Mídia On-line (site, blog e agência de notícias) e Mídia Eletrônica (rádio e TV).

Serão nove vencedores. Os primeiros e segundos colocados de cada categoria receberão, no total, R$ 27 mil (vinte e sete mil reais) em prêmios.

Os primeiros colocados receberão, individualmente, R$ 6 mil (seis mil reais) líquidos, além de troféu e certificado de premiação.

Os segundos colocados de cada categoria receberão, individualmente, R$ 3 mil (três mil reais) líquidos, além de certificado de premiação.

Os terceiros colocados de cada categoria receberão, individualmente, um certificado de reconhecimento do 4° Prêmio SBR/Pfizer de Jornalismo – Doenças Reumáticas.

A premiação será realizada em São Paulo, em setembro de 2019. E os vencedores serão contatados assim que os resultados forem revelados.

Confira mais detalhes sobre o prêmio acessando nosso Regulamento.

Avaliação

Os trabalhos serão avaliados por um grupo de três médicos especialistas em Reumatologia, reconhecidos nacionalmente e indicados pela Sociedade Brasileira de Reumatologia, e por dois jurados ligados à área de Comunicação ou pesquisa científica.

Serão escolhidos três trabalhos em cada categoria, levando em conta critérios como criatividade, pesquisa do tema, números e dados estatísticos apresentados, bem como impacto para o público em geral quanto à conscientização e à educação a respeito do tema. Os trabalhos escolhidos pelo júri serão levados à votação popular por meio do site. Os mais votados serão premiados.

Referências

1. Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde, recomendação nº 011, de 12 de abril de 2018. Disponível no http://conselho.saude.gov.br/recomendacoes/2018/Reco011.pdf . Acessado em fevereiro de 2019.

2. LEE DM. et al. Rheumatoid arthritis. Lancet. 2001;358:903-911.

3. Instituto Ipsos. Pesquisa “Não ignore a sua dor, pode ser artrite reumatoide”. Maio 2015

4. CHAUDHARI P. The impact on rheumatoid arthritis and biologics on employers and payers. Biotechnology Healthcare. 2008;July/August:37-44.

5. VERSTAPPEN SMM, BIJLSMA JWJ, VERKLEIJ H, et al. Overview of Work Disability in Rheumatoid Arthritis Patients as Observed in Cross-Sectional and Longitudinal Surveys. Arthritis & Rheumatism. 2004;51:488-497.